Nesse último final de semana, rolou aqui em Curitiba a Etapa Inverno (e bota inverno nisso) do Circuito das Estações Adidas.

Desta vez sai de casa de carona com o brother Lauro Caversan que vai fazer todas as etapas do Circuito assim como eu, saímos por volta das 6:15h rumo ao Jockey Clube para encarar uma manhã gelaaaada de domingo aqui na capital paranaense. Retirada do chip sem filas, tudo tranquilo exceto pelo contratempo dos amigos que tiveram o pelotão trocado pela O2, em vez deles estarem no Pelotão Quênia (o mesmo que eu largaria, para atletas com pace abaixo de 4:30 min/km) eles foram parar no Pelotão Verde (entre 4:30 e 5:00 min/km), um dos nossos amigos conseguiu trocar pois viu lá na hora que estava errado e o pessoal da Adidas arrumou, porém o Lauro que ia pegar o kit com a assessoria não teve a mesma sorte, teve que largar no segundo pelotão. Na hora exata a buzina tocou e a turma saiu com tudo para enfrentar os 6ºC que fazia em Curitiba naquele momento.

O kit da Adidas mantém a qualidade de sempre. Sempre um conforto a mais.

Como sempre a largada foi um tanto quanto caótica e complicada, não sei porque o pessoal da O2 insiste em fazer a largada dentro do Jockey, é MUITO difícil largar ali já que a estrada ali é TODA cheia de buraco e os milhares de participantes tem que se espremer para passar por um portão muito pequeno antes de ganhar a rua, a chance de alguma coisa dar errado é multiplicada em muitos %, risco que poderia ser facilmente evitado se os atletas largassem do lado de fora do Jockey ou ao menos se os pelotões largassem em ondas. Mas enfim… Como fazia praticamente 2 semanas que eu não treinava “sério” resolvi encarar a etapa mais como um longuinho de domingo, para sentir o corpo mesmo e ir dando um estímulo um pouco mais pesado para as pernas. Larguei bem, segurando um ritmo na casa dos 4:15 min/km porém lá pelo km 3 resolvi ir aliviando progressivamente até o final da etapa. O trecho é cheio de subidas e descidas (foi a primeira vez que corri os 10k no Circuito da Adidas, as outras vezes estava sempre tentando o meu RP nos 5k) e isso dá uma minada nas pernas que se não estiverem bem condicionadas, pois nessa hora o psicológico também é um fator a se levar em consideração, já que não é nada legal para alguém que gosta de andar rápido ver a galera te passando enquanto você vai aliviando o ritmo rsrs.

O frio estava de matar, (temperatura na casa dos 6ºC) o ar entrava gelado nos pulmões e a respiração estava bem mais complicada. Tive algumas dores durante a prova principalmente até aquecer bem, assim como correr a 30ºC não é legal, correr abaixo dos 10ºC, para mim, também não é. Os últimos 2 km eram em uma reta já bem conhecida pelo pessoal que corre aquele percurso e com certeza é a parte mais gostosa da prova, acabei fechando os 10k em 00:49:40 mantendo a tradição de segurar as minhas performances nos 10k sempre na casa dos 40 minutos.

Bruna e seu modelito "Manifestante guarda volumes do ártico", como sempre me acompanhando nas provas. =)

Bruna e seu modelito “Manifestante guarda volumes do ártico”, como sempre me acompanhando nas provas. =)

A experiência de correr sem treinar é quase como ir fazer um vestibular sem ter pegado em um livro sequer. A gente sabe que alguma coisa do conteúdo está lá na cabeça mas na verdade, na hora que o coro comer, na hora que o bicho pegar, a cabeça vai falhar e o desempenho não vai ser nem de longe o mesmo! Como dessa vez eu não tinha escolha, foi assim mesmo, na raça, porém se eu puder nunca mais quero fazer repetir a experiência. Sou do tipo que valoriza muito as conquistas e deixar com que o desempenho escape assim por entre os dedos é muito duro. De reeeeeeesto tudo lindo como sempre, prova mais do que bonita e bem organizada pelo pessoal da Adidas, percurso desafiador, muita gente, tudo para abrilhantar ainda mais um domingo que tinha tudo para ser BEM preguiçoso.

Andre Raittz.

TARJA DE APOIO DIARIO NEW