Até que enfim chegou o dia da primeira prova do Circuito das Estações desse ano.

Eu gosto muito dessa corrida e desde o ano passado esse evento é muito especial para mim. Como esse ano eu tinha colocado no meu planejamento que iria participar de todas as edições, não via a hora que começasse de uma vez para curtir. Saímos de casa, eu e Bruna,  por volta das 5:55h da manhã rumo ao Jockey Clube para retirar o chip bem cedo e evitar as filas (se bem que a organização do evento está cada dia melhor e provavelmente não encontraríamos dificuldade mais tarde, mas sempre é bom garantir). Após um longo papo com um taxista disposto a contar histórias, chegamos no Jockey por volta das 6:20h e retiramos o chip sem nenhuma dificuldade. Nos dirigimos a linha de largada e foi bem bacana encontrar alguns amigos nesse trajeto (o Márcio Prado e o Lauro Caversan principalmente, rapaziada sempre firme nas provas aqui em Cwb). A partir daí a Bruna ficou ali na grade me esperando e eu parti para a minha primeira etapa no Circuito em 2013.

Tudo pronto na noite anterior da corrida. Circuito das Estações – Etapa outono

Clima friozinho, dia bem úmido e a largada sempre caótica e afunilada do Jockey adicionam uma dificuldade extra a prova, mas nada que não seja confortavelmente contornável (quase sempre perdemos segundos preciosos ali na saída, cerca de 15 a 20 segundos dependendo do número de participantes, devido ao afunilamento da largada que obriga milhares de pessoas largarem através de um portãozinho minúsculo dadas as devidas proporções). Saindo dali, resolvi colocar um ritmo forte para tentar recuperar aquele tempo perdido e segui pela ciclovia do lado da rua pra tentar dar um respiro, estratégia que acabou dando certo… A partir do quilômetro 2 a prova estava bem mais tranquila para se correr e eu estava me sentindo muito bem, as passadas estavam bem encaixadas, o ritmo bem tranquilo e o pulmão estava reagindo bem ao impulso (característica razoavelmente nova pra mim, acredito que o treino na piscina tem me feito muito bem para a corrida). Segui imprimindo um ritmo bom, nem tão Kamikaze nem tão regenerativo, fiquei muito satisfeito com o andamento. Assim que fizemos a curva da água e caímos na avenida novamente para a volta, resolvi acelerar para tentar manter o ritmo médio e isso foi outra escolha certa, acabei fazendo algumas ultrapassagens legais nesse período porém continuava atrás de um competidor que estava em um ritmo muito legal, muitas vezes servindo de pacer pra mim inclusive. Faltando 400m para o final da prova esse senhor acabou diminuindo um pouco o ritmo e eu acabei passando ele, coisa que não durou muito pois ele voltou a me passar a uns 150m depois… Pensei: “nada mais justo que ele terminar a prova na minha frente, afinal, ele estava a prova inteira na minha frente e como não estamos na mesma categoria, ambos somos vencedores, porém chegando no pórtico, a aproximadamente uns 80m da chegada, esse senhor voltou a diminuir o ritmo e aí a competitividade falou mais forte, resolvi acelerar pois percebi que aquela corrida poderia nos proporcionar um daqueles momentos que a gente guarda pra sempre na memória, lá na categoria dos sprints finais inesquecíveis. O senhor percebeu que eu estava acelerando, resolveu engatar a última marcha e disputamos até o final da prova em um sprint muito bacana, ultrapassando vários corredores, até cruzarmos a linha de chegada. Senti real necessidade de apertar a mão daquele senhor e agradecer pela oportunidade de fazer uma chegada como aquela e acredito que ele também tinha gostado pois me deu um abraço muito bacana, são momentos como esse que a gente guarda pra sempre na memória.

Terminei a prova com 2 dos meus 3 objetivos completos. O primeiro era entrar para o Pelotão Quênia da O2, alcançado pelo tempo de 00:20:37. O segundo era completar a prova na casa dos 20 minutos, também realizado com êxito e o último era fazer a prova na casa dos 19 para conseguir bater o record do meu amigo canela seca Gabriel Carpenter… Bem, não se pode ganhar todas né. rsrs. Foi uma prova muito legal ainda mais pela linda companhia da minha namorada que tem se tornado uma figura constante nas minhas corridas, coisa que me deixa muito feliz e me dá um gás a mais para cruzar a linha de chegada.

Certificado do Circuito. 48ª Posição Geral, 9º Colocado na Categoria 25-29. No inverno tem mais!

Certificado do Circuito.
48ª Posição Geral, 9º Colocado na Categoria 25-29. No inverno tem mais!

Parabéns também para os amigos Lauro e Márcio que terminaram os 10k na casa dos 43min e 45min respectivamente. Show de bola. Não vejo a hora de chegar a etapa de inverno, nos vemos lá!

Andre Raittz.

TARJA DE APOIO DIARIO NEW