CONFIE NA SUA PLANILHA!

Esse texto é só para quem já tem um técnico ou uma assessoria esportiva e já segue a famosa/temida/desejada planilha de treinamento (vai, pelo menos há 06 meses!).

Eu me encontro em ciclo tenso, rumo ao Ironman da Florida, uma preparação enxuta e com vários obstáculos no meio (compromissos, viagens e afins), não tenho tempo para bobear, ou seja, tenho que confiar na planilha.

Em primeiro lugar eu sou muito bem assessorada pela minha equipe e pelos meus técnicos, por isso consigo confiar na minha planilha. Reforço isso porque se você ainda não se encontrou, busque os profissionais que irão atender a sua necessidade! #ficaasuperdica

Com o meu ciclo feito para o Ironman, que acontece no dia 01 de novembro, venho me deparando com fases que eu já vivi em outras fases da minha vida de atleta. Uma delas quando eu treinava no Centro Nacional de Treinamento de Triathlon, em Vila Velha e que aprendi com o  meu técnico na época e o querido Catta Preta, o que eu vou contar para vocês:

Principalmente na fase em que a planilha vai evoluir, ou seja no início do ciclo, tem semanas que treinamos, fazemos tudo direitinho e que os treinos não encaixam, parece que não rende (só comigo acontece isso?). Seja para nadar, pedalar ou correr, parece que sempre falta algo, sempre é um sofrimento e o treino é difícil. Aí que vem a parte de “Confiar na sua Planilha”, essa confiança é que vai fazer você realizar o segundo treino do dia morto, ou conseguir sair da cama ainda de madrugada para começar o dia treinando.

Quando eu saia desanimada do treino o Cattinha me chamava no canto e falava: Luca lembra semana passada o treinão que você fez? Calma! O treinamento é assim, a gente treina, treina, treina e o resultado vai aparecendo gradativamente, ou até mesmo esporadicamente! Rsrsrs

E isso é verdade! Não estou escrevendo com baseamento teórico, não sou educadora física, muito menos técnica, mas treino há 15 anos e já tive muitos ciclos importantes na minha carreira de atleta. Hoje, enfrento mais um e passo justamente pelo mesmo empasse, por isso decidi compartilhar com vocês!

E esses altos e baixos afetam o nosso psicológico, é ele que tem que ser forte e nos manter na linha para o ciclo ser feito e aí sim, chegarmos no grande dia a ponto de bala! 😉

Desejo paciência e ótimos treinos!

Luca Glaser

Lembrando que as opiniões acima são de única e exclusiva responsabilidade do colaborador, podendo não representar uma nota oficial do Vida de Triatleta. Para entrar em contato com o autor, use o link abaixo.