Afinal de contas, o que é ser pai?

Bem na verdade eu não sei porque esse prazer ainda não faz parte da minha vida, mas fui filho e tenho em mim alguns sentimentos que talvez definam esse momento com os olhos de quem vê de fora, como quem assiste de longe aprendendo.

Ser pai é transformar em vírgulas os pontos finais da vida, é ser mão que afaga, que indica o caminho. Ser pai é ser referência.

Ser pai é ter uma platéia, as vezes de uma pessoa só, todos os dias. É ter a consciência que palco não é picadeiro mas sim sala de aula. Ser pai é ser professor.

Ser pai é errar, várias vezes, mas persistir na missão. É insistir e ter a certeza que essa insistência vai fazer a diferença. Ser pai é ser humano.

Ser pai é chorar sozinho na dúvida cruel das escolhas duras que o cargo lhe impõe. É muitas vezes ter a responsabilidade de guiar o destino de quem mais se ama, mesmo que sem ter feito isso uma única vez em sua vida. Ser pai é ter coragem.

Ser pai é não é ser invencível. É ter medo e seguir firme, é ser fortaleza e morada. Ser pai é assumir a responsabilidade.

Ser pai é não fazer a mínima ideia como fazer mas ter a certeza que fará da melhor maneira possível. No final das contas contas é uma atividade que mora na linha tênue entre vocação e o improviso. Ser pai é se virar.

Agora ser filho… Ser filho é diferente.

Ser filho é sentir-se amado. Ser filho é ter uma voz por trás que guia, que ensina, que ajuda. É se apegar a gibis e filmes de super-herói porque sabe que no fundo eles realmente existem. Ser filho é sentir que não importa o problema que a vida te traga, se o seu pai não souber ajudá-lo a resolver vai pelo menos fazê-lo rir tentando daquele jeito meio desengonçado que eles tem depois de uma certa idade. É ter alegria e conforto na presença, é também sofrer na ausência quando a única coisa que você gostaria era ter o seu pai por perto, pelo whastsapp, pelo telefone, mas não pode. A saudade da presença só não é maior que a saudade do sentimento, quando se tem saudade de um pai se tem saudade da vida. Os churrascos de domingo nunca mais são os mesmos, as ligações de aniversário, as ligações na madrugada, as datas, os dias… Sentir falta de um pai é sentir falta do que se viveu e do que podia ter vivido. Ser filho é lembrar todos os dias da sua vida de quem te deu a oportunidade de estar aqui hoje, de quem te ensinou o caminho, de quem te moldou pessoa e está presente em cada parte da sua vida, do seu RG ás suas lembranças mais distantes, para provar que ser filho é ser poesia e ser pai é ser poeta. Poeta da vida.

Poderia finalizar aqui dizendo que o Triathlon é pai e que é a mão paterna que nos guia para que essa coluna tivesse algo a ver com o esporte, mas não rola. Porque pai é um negócio único e nada no mundo é igual.

Feliz Dia dos Pais.

 

Sinto a sua falta.

Andre Raittz.