Limites são barreiras que o corredor carioca Marcio Villar desconhece, ele é conhecido por dobrar ou triplicar a distância de várias das mais difíceis ultramartonas do Mundo como a Badwater e a Brazil 135 e cultiva um amor incondicional pela corrida, esporte que o faz feliz todos os dias. Chegando a somar 705 km percorridos em um só evento Marcio quer mais, vai tentar superar o record mundial de 7 dias em esteira que é de 835 km! O Vida de Triatleta bateu um papo com essa fera e o resultado você confere logo abaixo:

1 – Qual é o estilo Marcio Villar de correr?

Marcio Villar: Estilo felicidade, corro pq me faz feliz, corro movido a novos desafios, a tentar algo que nunca ninguém fez.

2 – Marcio, assim como muitos esportistas amadores de hoje em dia, a sua procura pelo esporte começou através da necessidade de entrar em forma. Sabemos que o fator motivacional e mental é super importante para a conquista dos objetivos principalmente para você que ultrapassa todos os limites do seu corpo, a partir de que ponto em uma prova você percebe que a sua cabeça está sendo mais importante que as pernas? 

Marcio Villar: As primeiras 6 horas de prova para mim são as piores, parece que vou quebrar, que vai travar tudo, dói tudo, depois disso a corrida encaixa e quanto mais longa melhor meu resultado com foi nos 509 km dentro da Flroresta amazônica na Double da Jungle Marathon e agora nos 705 km do triplo da Ultra dos Anjos.

3 – Tem como treinar o corpo para um desafio tão grande como uma ultra em dobro? 

Marcio Villar: (em triplo também rsrsrs) não existe treino para correr 705 Km, se existisse teria que fazer treinos de 400 km no mínimo, o que acontece é que eu amo tanto correr e fazer desafios que o resultado é apenas uma consequência natural, corro rindo, brincando, contando piada, mas nos treinos o foco é total na linha de chegada, eu simulo a prova nos treinos como por exemplo quando vou correr na Amazônia treino com uma mochila com 10 kg nas costas, quando vou correr na neve eu treino puxando pneu para simular o trenó, se vou correr no deserto treino na sauna e ao sol de meio dia, mas em todos eles tem algo em comum, eu me imagino na prova cruzando a linha de chegada e comemorando, com isso vou condicionando minha mente e no dia da prova em quanto não cruzo a linha de chegada minha mente não me deixa parar.

4 – Conta um pouco mais da experiência da Double Badwater e do casal de americanos que resolveu oferecer ajuda sem nem ao menos te conhecer.

Marcio Villar: Quando eu comuniquei que iria tentar dobrar a Badwater, o Luis Tadeu que sempre é meu pacer nas provas, conseguiu a passagem dele para ir comigo, o Luke que salvou minha vida na prova da neve na mesma hora falou que iria comigo e um casal  americano entrou em contato com o Mario Lacerda se oferecendo para ser meu apoio na prova quando soube que eu iria dobrar correndo os 434 km sendo que ele era médico e ela enfermeira, eles cuidaram de mim por 79 horas, pagaram o aluguel do meu carro de apoio, meu hotel e depois ainda me mandaram um e-mail me agradecendo falando que eu mudei a vida deles, até hoje toda vez que leio esse e-mail eu choro.

 5 – Hoje em dia tem se feito muito dinheiro com o universo das corridas de rua, criado produtos específicos para os 5k, 10k, meia, maratona e etc… Você simplesmente ignora as distâncias, ignora a moda e corre apenas pelo grande prazer de correr, o mundo das Ultras é que lhe proporcionou esse desprendimento?  Qual é o seu grande ídolo e o que te motiva a continuar superando os desafios?

Marcio Villar: Com certeza, na ultramaratona tudo é diferente é como se fossemos uma família correndo juntos, um ajuda o outro, sabemos das grandes dificuldades e fazemos de tudo para todos nós conseguirmos nossos objetivos, não tem premiação em dinheiro, todos que fazem ultra é por puro amor mesmo. Meu grande ídolo é o Campeão Mundial de Deca Ironman Sergio Cordeiro e o que me motiva é sempre tentar fazer algo que nunca ninguém fez.

“… corro pq me faz feliz, corro movido a novos desafios, a tentar algo que nunca ninguém fez…” Marcio Villar

6 – Conta pra gente como foi ser eleito o melhor ultramaratonista e um dos dez maiores esportistas do ano por uma revista norte-americana especializada. 

Marcio Villar: Foi uma grande surpresa, eu nem sabia que eles sabiam que eu existia, quando recebi o e-mail me comunicando pensei que era brincadeira de alguém, conforme  houve a troca de e-mail, seção de fotos que caiu a ficha rsrsrs, se eu tivesse o poder de parar o tempo, eu pararia no dia da premiação, foi um momento inesquecível de minha vida.

7 – Qual é a sua relação com as tatuagens?  (O Marcio tatua na pele as corridas que marcaram a sua vida)

Marcio Villar: Eu adoro tatuagem, mas acho que ela tem que ter um significado e só faço dos grandes desafios, daqueles que me marcam, que dão até depressão quando acabam pq vc queria mais e não tem, acabou  pq se fosse fazer de tudo já não teria espaço no corpo.

8 – Qual é a sua dica para o pessoal que quer correr mais de uma centena de quilômetros assim como você? 

Marcio Villar: Primeiramente é amar, quando fazemos o que amamos nada é impossível, o resultado é apenas consequência.

9 – Ao ler sobre as suas conquistas da pra notar que você fala das corridas com muito amor e carinho. Que lugar esse esporte ocupa na sua vida? 

Marcio Villar: Só está abaixo de minha família, é o que eu amo fazer, onde me sinto feliz, pena não poder me dedicar mais, pois trabalho o dia todo, treino a noite e para competir dependo da ajuda dos amigos e tenho os dias descontados das férias, é muito difícil.

10 – Quais são as próximas metas e desafios e qual é a mensagem que você deixa ao pessoal que quer ultrapassar seus próprios limites no esporte?

Marcio Villar: 10/2013 – DESAFIO DO INCA(INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER) RIO/ APARECIDA (280 KM)

12/2013 – TENTATIVA DE QUEBRA DO RECORDE MUNDIAL DE 7 DIAS EM ESTEIRA (ATUALMENTE É DE 835 KM)

01/2014 – TRIPLO DA BRAZIL 135 – 651 KM NA SERRA DA MANTIQUEIRA

02/2014 – DOUBLE DA ARROWHEAD – 434 KM NA NEVE COM 50 NEGATIVOS PUXANDO UM TRENÓ NA DIVISA DOS EUA COM O CANADA

Minha mensagem é acreditar em vc, quando tiver um sonho ir em busca dele, não dar ouvidos a quem queira te desmotiva, eu no inicio era chamado de louco, suicida, talibã, mas acreditei em mim e no meu amor as ultras e fui em busca do meu sonho e hoje os que me criticavam, batem palmas.

Foi lançado um livro que se chama “Desafiando Limites”, que conta em detalhes como Márcio saiu dos 98 KG e se tornou o primeiro atleta do mundo a completar todas as provas da Copa do Mundo de Ambientes Extremos. Quem tiver interesse em adquirir um exemplar é só acessar o site www.lojamarciovillar.com e fazer o pedido com o próprio atleta.