É impossível falar de Kona sem falar de Craig Alexander, o Tri Campeão Mundial de Ironman é o entrevistado de hoje do Especial Kona aqui no Vida de Triatleta. O “sempre favorito” fala sobre o seu segredo de longevidade, o que vai tentar na corrida esse ano, fala sobre o seu amor pelo triathlon, o medo de um trabalho de escritório e os planos de voltar ao Brasil em breve. A entrevista completa você confere abaixo:

[tabgroup][tab title=”Entrevista”]

1 – Craig, first of all thank you for your time, have this conversation with an idol like you is a huge pleasure for us of Vida de Triatleta. Time passes and you seem to be more and more in form, you have proven that the limits in the sport has become more and more elastic and that disposal of youth can be very well compensated with the experience and strategy. Tell us, what is the Crowie’s Secret?

Crowie – I would love to tell you that there is a secret, but the secret is, there is no real secret !!

Hard work (including lots of core/strength work), as well as a dedicated team around me, helping keep my body and mind in shape is what it takes. Maybe a little fear of a regular nine to five job also help keep me driven.

2 – Kona this year probably will be very fast, Kienle is flying on that bike, O’Donnell make the first here in Brasil with a very fast race, Pete and Andreas never disappoint in question of speed. The preparation this year have something different or the running will keep making the difference in your race? Craig Alexander still can reinvent himself?

Crowie – The race each year is different, depending on winds, luck, as well as each individual athletes form. NO doubt it will be fast with some of those guys esp Kienle riding so well, so a fast run is going to be required no doubt. I am guessing a marathon time of around 2:40 could take out the race.

3 – It is impossible today talk about long-distance triathlon without mentioning your name, you have impressive achievements and your name is definitely marked in the history of sport. How a man who has won everything can get energy to continue competing at high performance and keep winning races? What you search today during races?

Crowie – Like I mentioned earlier, I think fear of a “real job” helps keep my fire alive. A true love of the sport, as well as a love of the life style keeps me coming back for more. In what other jobs is your office in the mountains of Colorado, the national parks of Sydney, or the beauty of Hawaii ??? Many friends of mine in “real” jobs constantly tell me to keep “living this dream” as long as I can. I think I will !

4 – Days ago Macca wrote a note on his facebook talking about his time of age grouper, how it was looking good races over the internet and sign up for the pure pleasure of doing triathlon and ride fast. Do you miss that time or believes that the professional triathlon can give the same satisfaction for the athlete? Will you keep racing after your professional career is done?

Crowie – I race for the love of the sport as much now as I did when I was an age grouper ( only a year or so). If I didn’t have that love for the sport and that fire still inside me , I wouldn’t be racing. The mighty dollar can not be your only incentive. This sport is too hard for that !

5 – Triathlon enthusiasts here in Brazil has a great affection for you because of your tranquility as an athlete and your great strength when competing. Our schedule here in Brasil is a little bit tight in Ironman distance complicating your visit during the season, we can expect more training camps with you in the future? How do you plan your life when this “better of the world” routine ends?

Crowie – Post triathlon life for me is still hazy and in the distance. I certainly hope to be able to return to Brazil, in fact a bunch of places around the world to do camps. It’s a part of my career that I have really enjoyed so far, and post “official” racing career would like to do more. So stay tuned. I also really want to get back to Brazil to see some real football games !

[/tab][tab title=”Tradução”]

1 – Craig, primeiro de tudo obrigado pela atenção, ter essa conversa com um ídolo como você é um grande prazer para nós aqui do Vida de Triatleta. O tempo passa e você parece estar cada vez mais em forma, você tem provado que os limites no esporte tem se tornado cada vez mais elásticos e que a disposição da juventude pode muito bem ser compensada com experiência e estratégia. Conta para nós, qual é o segredo?

Crowie – Eu gostaria muito de dizer para você que existe um secredo, mas na verdade o segredo é que não existe segredo!! Trabalho duro (incluindo muito trabalho de Core e Força), assim como um time muito dedicado ao meu redor, me ajudam a manter meu corpo e minha mente em forma. Talvez um pouco de medo de um trabalho em horário comercial também me ajude a me manter competitivo.

2 – Kona esse ano provavelmente será muito rápida, Kienle está voando naquela bike, O’Donnell venceu aqui  no Brasil com uma prova muito rápida, Pete e Andreas nunca decepcionam em questão de velocidade. A preparação para esse ano tem algo de diferente ou a corrida continuará fazendo a diferença na sua prova? Craig Alexander ainda consegue se reinventar?

Crowie – A corrida cada ano é diferente, depende do vento, sorte, assim como cada atleta está fisicamente. SEM dúvida que será rápida com esses caras principalmente Kienle rodando tão bem, então será preciso fazer uma corrida rápida sem dúvida. Eu estou acreditando que uma maratona girando em torno de 2:40 pode decidir a corrida.

3 – É impossível hoje falar sobre triathlon long distance sem mencionar o seu nome, você tem conquistas impressionantes e o seu nome está definitivamente marcado na história do esporte. Como um cara que já ganhou tudo pode juntar energia para continuar competindo em alta performance e continuar ganhando corridas? O que você busca hoje, durante as corridas?

Crowie – Como eu falei antes, eu acho que o medo de um “emprego de verdade” ajuda a manter a minha chama acesa. Um amor verdadeiro pelo esporte, assim como ao lifestyle continua me fazendo voltar. Em qual outro emprego o seu trabalho são as montanhas do Colorado, o parque nacional de Sydney ou na bela ilha do Hawaii? Muitos amigos meus em trabalhos “de verdade” me falam constantemente para continuar “vivendo o sonho” o quanto der. Eu acho que irei fazer isso!

4 – Dias atrás Macca escreveu uma nota no seu Facebook falando sobre o seu tempo de age grouper, como era ficar procurando boas provas pela internet e se inscrever pelo puro prazer de fazer triathlon e andar rápido. Você sente saudade dessa época ou acredita que o triathlon profissional pode dar a mesma satisfação para o atleta? Vocçe vai continuar correndo depois que a sua carreira profissional terminar?

Crowie – Eu corro pelo amor ao esporte hoje assim como eu corria quando age grouper (somente um ano ou pouco mais). Se eu não tivesse esse amor pelo esporte e esse fogo dentro dentro de mim, eu não estaria competindo. O tão poderoso dólar não pode ser seu único incentivo, esse esporte é muito difícil para ser assim!

5 – Entusiastas do Triathlon aqui no Brasil tem uma grande identificação com você por causa da sua tranquilidade como atleta e a sua grande força competindo. Nossa agenda aqui no Brasil é um pouco apertada na distância Ironman complicando a sua visita durante a temporada, nós podemos esperar mais camps com você no futuro? Como você planeja sua vida quando essa rotina de “melhor do mundo” acabar?

Crowie – A vida pós triathlon para mim se parece nebulosa e distante. Eu certamente espero ter a oportunidade de voltar ao Brasil, na verdade em um monte de lugares ao redor do mundo para fazer camps. É uma parte da minha carreira que eu realmente gostei até agora,  e após a minha carreira “oficial” de competidor eu gostaria muito de fazer mais isso. Então fique ligado, porque eu também quero voltar ao Brasil para ver alguns jogos de futebol de verdade!

[/tab][/tabgroup]