Em entrevista exclusiva ao Vida de Triatleta, a atual Campeã do Mundo de Ironman Leanda Cave contou um pouco mais sobre as estratégias para o próximo campeonato mundial, a lesão chata que a acompanhou durante o treinamento esse ano e quais foram as mudanças que aconteceram  na sua vida após ser a primeira mulher a ganhar o Mundial de 70.3 e de 140.6 no mesmo ano (2012).  Nem o câncer de pele diagnosticado no começo do ano e um tendão rasgado a impedirão de tentar o Bi e ela reparte um pouco disso tudo com a gente logo abaixo:

[tabgroup][tab title=”Entrevista”]

1 – How was the preparation for Kona this year, had something different or repeat what worked last year is the key to success?

Leanda Cave – I feel I have been chasing my tail a little bit this year.  An early injury set me back and unfortunately I have not been able to get on top of it.  I have a torn left upper hamstring.  To let it heal I need to stop training and racing.  Therefore, I will wait until after Miami 70.3 before I stop.  But essentially I have been dealing with this all year and my training has suffered as a result.

2 – Knowing who will be in the startlist changes your strategy for the race or Kona is already drawn, no matter who has next to you?

Leanda Cave – There are some fresh faces on the start line, however it changes nothing.  We all have to do our best race.  The fittest athlete in Kona does not always win.  This race is unique because of how tough it is in the conditions.  So I never look at the other girls and see them as any greater threat just because on paper they have had great results in the past.

3 – Running kona as the defending champion brings some extra pressure? How is to live the Kona atmosphere being the number 1?

Leanda Cave – It actually takes the fun away.  I now always have somewhere to be and people I must talk to.  I understand that this is part of my job, but I like to just get on with it.  It is very strange being recognized by other athletes.  In their eyes I lose who I am as a person and just become a sporting personality.

4 – You now leads the female ranking of ironman which adds even more points to your great career that is keeping you on top of the sport for more than ten years. How is to wake up in the morning and see that the work has been done and you today are a big name of triathlon in the world? Is there anything in your career would you do differently?

Leanda Cave – There are always things I could have done differently and I could probably have had greater success.  However, I also love to live life and enjoy things other than triathlon.  So I feel I have accomplished a lot without having to sacrifice being a person in their 30s.

 5 – In Escape from Alcatraz , you’ve proven that you can win a race several times in a row, you’re ready to make history again by winning kona in the second year consecutive?

Leanda Cave – It would be a pretty exceptional performance from any standard if I were able to win again this year.  I am not counting myself out.  Every race I do I give it everything I have.

6 – Thank you for your time Leanda, hope you have a great race in Kona and the second title come! The space is yours for a goodbye to brasilians fans! Cheers!

Leanda Cave – Thank you Brazil for all your support over the years!

 

[/tab][tab title=”Tradução”]

1 – Como foi a preparação para Kona esse ano, teve algo de diferente ou repetir o que funcionou ano passado é a chave para o sucesso?

Leanda Cave – Eu sinto que persegui um pouco o meu rabo esse ano. Uma lesão logo no começo fez o meu ano recomeçar e infelizmente eu não tenho sido capaz de voltar ao topo. Eu tenho um tendão superior esquerdo rasgado. Para deixá-lo curar eu preciso parar de treinar de de competir. Por isso, eu vou esperar até o 70.3 Miami antes de eu parar. Mas essencialmente eu tive que lidar com isso o ano todo e meu treinamento sofreu com isso tudo.

2 -Saber quem vai estar na startlist muda a sua estratégia para a corrida ou ela já está traçada para Kona, não importa quem estiver competindo?

Leanda Cave – Há algumas caras novas na largada, no entanto, isso não muda nada. Nós todos temos que fazer a nossa melhor corrida possível. O atleta mais em forma nem sempre ganha em Kona. Esta corrida é única pelo tamanho das dificuldades das suas condições. Então eu nunca olho para as outras meninas e vejo elas como qualquer ameaça maior só porque no papel elas tiveram grandes resultados no passado.

3 – Correr Kona como a atual campeã traz alguma pressão extra? Como é viver a atmosfera de Kona sendo a número 1?

Leanda Cave – Isso geralmente afasta a diversão. Eu agora sempre tenho algum lugar para estar e algumas pessoas com quem devo falar. Eu entendo que isso é parte do meu trabalho, mas eu gosto de apenas seguir em frente. É muito estranho ser reconhecida por outros atletas. Através do olhar deles eu perdi quem eu sou e me tornei uma personalidade esportiva.

4 – Você agora lidera o ranking feminino de Ironman que adiciona ainda mais pontos a sua grande carreira que está te mantendo no topo do esporte por mais de dez anos. Como é acordar de manhã e ver que o trabalho tem sido bem feito e hoje você é um grande nome do Triathlon no mundo? Existe algo na sua carreira que você faria diferente?

Leanda Cave – Sempre existem coisas que eu poderia ter feito diferente e eu poderia até ter tido um sucesso maior. No entanto, eu também gosto de viver a vida e curtir outras coisas além do triathlon. Então eu sinto que tenho realizado muito sem ter que sacrificar o fato de ser uma pessoa nos seus auge dos seus 30 anos.

 5 – Na Escape from Alcatraz, vocÇe provou que pode ganhar uma corrida várias vezes em seguida, você está pronta para fazer história novamente em Kona pelo segundo ano consecutivo?

Leanda Cave – Seria uma performance excepcional para qualquer padrão se eu fosse capaz de ganhar novamente esse ano. Eu não estou contando com isso. Em cada corrida eu dou tudo de mim.

6 – Obrigado pela atenção Leanda, o espaço é seu para uma despedida dos fãs brasileiros!

Leanda Cave – Obrigado brasil por todo o apoio ao longo desses anos.

[/tab][/tabgroup]