Uma coisa dita a mim há mais de 20 anos, persegue meus pensamentos: “Você se acha atleta, mas você é só um esportista”.

Fica claro que o tom que se quis dar foi de desdém.

Não tem jeito. Se você escolhe um esporte e o torna um estilo de vida, seus amigos no início vão te achar louco, depois vão te achar doente. E por fim, você vai trocar o círculo de amizades.

Cuidado. Isso acontece às vezes com namorados(as) e/ou esposas/maridos.

Mas por que isto foi me dito?

É difícil para quem vê de fora, entender a dedicação e o valor dado às sessões de treinos, provas, viagens. Quase impossível argumentar que SIM, a agenda da grande maioria de quem faz esse esporte gira em função do tipo e duração dos treinos. Isso inclui a alimentação, descanso e todo o resto. Apenas lembrando que isso, o triathlon, é um hobby e não um meio de vida.

Durante a divisão de plantões no internato da faculdade de medicina, eu disse que não poderia fazer os plantões X e Y. O amigo na época se sentiu prejudicado e tentou me “diminuir”.

O engraçado é que mais de 20 anos depois, isso continua a acontecer.

Vamos apelar ao “Pai dos Burros” (Michaelis online):

atletaatleta

a.tle.ta

s m+f (gr athletés) 1 Pessoa que se exercitava na luta e no pugilato, para combater nos jogos solenes, na Grécia e em Roma. 2 Homem forte e destro em exercícios físicos. 3 Esp Pessoa treinada para competir, profissionalmente ou como amador, em exercícios, esportes ou jogos que requerem força, agilidade e resistência. 4 Pessoa de constituição robusta. 5 Defensor valoroso de uma causa ou partido.

E o que me foi atribuído

esportista

es.por.tis.ta

s m+f (esporte+ista) Pessoa que cultiva um esporte ou é dada ao esportismo; desportista.

Gostei muito da definição de atleta, quando se diz que é um indivíduo treinado para competir, em esportes que requerem força agilidade e resistência.

Mais do que definir quem pode ser chamado de atleta, acredito que mostra que essa é uma condição não perene e que precisa ser conquistada. Um indivíduo TREINADO. E o treino é diário. Não necessariamente um treino físico, que você pega sua sunga, ou sapatinha ou ainda, um tênis e sai por aí levando o corpo ao limite, mas de comprometimento. Mas talvez de saber que você precisa seguir um objetivo, nem que pra isso, você precise ajustar horários, definir prioridades e até trocar as amizades.

Todo mundo acha que atleta é o cara que vai lá e ganha.

Quantas vezes já não te perguntaram, depois de saberem que você fez a prova A ou B: “Você ganhou?”

Não. Nunca ganhei. Mas não é isso que me torna ou não atleta.

Quando o Brasil ganhou a medalha de ouro no vôlei em Barcelona, meu pai chorou. Jogador amador do Palmeiras, ele disse que o clube não tinha dinheiro pra comprar bola e ele levou uma dele para os treinos. Ele achava que parte daquela medalha era dele também.

Entendo ele. Sinto o mesmo. O triathlon faz parte da minha vida. Sinto que com minha dedicação, faço o esporte crescer. Treino porque me faz bem, porque é uma válvula de escape para o stress da minha profissão, da vida caótica da cidade. Porque me dá um tempo comigo mesmo pra pensar nos erros e acertos diários.

Então sim. Desculpe amigo: Eu sou atleta. E pela definição do dicionário, sou esportista também, pois ao contrário do sentido pretendido, não tem nada de pejorativo na palavra.

Seguimos no equilíbrio instável, balançando entre compromissos profissionais, relacionamentos, família. Isso também requer treino. Muito treino! E jogo de cintura…

Então…Bons treinos, atletas e esportistas.

Daniel Blois

Lembrando que as opiniões acima são de única e exclusiva responsabilidade do colaborador, podendo não representar uma nota oficial do Vida de Triatleta. Para entrar em contato com o autor, use o link abaixo.